O bom, o mau e o feio!


Perguntaram-me porquê um retiro de silêncio?

A maioria de nós gasta o que tem e às vezes o que não pode, para ter, o que consideramos, experiências enriquecedoras. O que é isso para si? Escalar uma montanha? Visitar os quatro cantos do mundo? Voar em primeira classe? Provar os mais requintados vinhos e pratos gastronómicos? Aprender algo? Apoiar uma causa...?

Todos queremos algo. Mas nunca é sobre o que dizemos que queremos. É sim sobre o que acreditamos que isso nos vai dar.

É sobre o que eu acredito que fazer essa coisa faz de mim ou quem eu acredito que me torno por causa dessa experiência.

Porquê silêncio?

Neste momento (a minha opinião pode vir a mudar), o silêncio permitiu-me provar o que mais quero. Acredito que tenho procurado isto toda a minha vida. O silêncio trouxe a liberdade para realmente ver, provar e lembrar quem EU SOU!

Tal como escalar uma montanha, teve momentos dolorosos e insuportavelmente difíceis. Nesses momentos, a mente transforma-se em auto-abuso, “eu deveria ter-me preparado mais, melhor, quem é que eu acho que sou, ou eu não preciso disso, isso é ridículo ... " O Silêncio é tão libertador de distracções, do mundo exterior, das obrigações, dos papéis a desempenhar, etc., mas também abre o mais profundo (mais sombrio) do seu ser, aquilo o que você nem quer entrar em contacto. Em silêncio, não há onde se esconder. As vozes ficam mais altas, os medos aumentam, a lógica desaparece, a ansiedade aumenta, a raiva explode e o que não fica claro nas horas em que está acordado, não se preocupe, isso aparecerá nos seus pesadelos. Intriga-me porque será que o isolamento e o silêncio são usados ​​como punição na nossa sociedade e, ao mesmo tempo, é tradicionalmente usado por sábios e grandes mestres como uma maneira de se ligarem com a sabedoria interior ... Quanto mais o silêncio mostrava sobre mim, mais eu procurava maneiras de escapar. Virar para fora é sempre a fuga fácil, comer (quando não se tem fome), criar histórias sobre o que se vê, não importa o que os outros pensam … caminhar, organizar roupa sujas ou mergulhar nas novelas da mente, estas fugas são tão sedutoras ... isto durou tempo suficiente, até começar a desistir! As vozes eram altas. "Tudo bem, foi uma perda de tempo, dinheiro, um desastre, confessa, admite, arruma a tua mala e vai, vai!” Este foi o momento, o desistir, o momento mais decisivo, o momento que eu realmente me encarei. "O que está vivo aqui, agora?" Lembro-me de ouvir a voz de Matt Licata na minha cabeça. Este convite à presença, à aceitação até mesmo dessa resistência, esse doce gentil permitir. A luta continuou, mas agora havia um pouco mais de espaço. Eu tinha espaço para estar aqui. Havia luta, mas tudo está bem. Há espaço para a auto-compaixão, há curiosidade ... isso trouxe alguma clareza que separou as muitas vozes. Que parte de mim quer ir embora? Outras vozes se juntaram. Pode ser um desastre, tudo bem, eu tenho muitos na minha vida, mas quem eu serei se eu for? Eu posso desistir de tudo, desde que eu não desista de mim mesma! ... Quanto mais eu reparei / vi as vozes, quanto mais espaço eu obtive, mais presente eu me tornei. Este foi o primeiro verdadeiro momento de paz. Paz que eu poderia lutar, paz que eu não tinha que gostar ou querer, paz que eu já estava a fazer o que eu queria. Eu, finalmente, não me abandonei. Eu estava lá para mim, comigo, atenta, curiosa, até mesmo compreensiva e a apoiar-me ... Este foi o momento em que me lembrei! Lembrei-me do que já sei. Lembrei-me de quem EU SOU, do que sou feita.

Lembrei-me de porque vim, que eu sabia que isto iria acontecer, por isso não levei o meu carro, por isso não queria levar nem o telefone. Eu sabia disso, eu conheço a minha mente, um instrumento muito bonito, mas que foi programado para tão pouco ahahah. Não foi tudo sol e arco-íris, tinha que chover primeiro. O que está diferente, pergunta-me? O que fica diferente quando você faz uma escalada, tira um curso, prova um vinho raro? Nada é diferente, e sim, você sabe que não é mais o mesmo! Se eu vim para me lembrar do que sei, não poderia ter feito isso sozinha? Em casa? Porquê em formato de retiro? Simplesmente porque, sozinha, eu não teria conseguido! Muitas distrações, é tão fácil ter coisas para fazer, lugares para ir, pessoas para conversar ... Isto ajudou-me a estar, literalmente, desligada do mundo, ter tudo organizado para mim, e claro, também me ajudou a saber que não estou sozinha. Há milhares de pessoas do mundo inteiro, pelo menos, tão loucas como eu.

Porquê 7 dias? Porque menos não teria tido o mesmo efeito. Na verdade, 7 dias não são suficientes.

Quando é o próximo? Como eu disse no início, não se trata da experiência em si, do retiro silencioso, mas sim de querer ser o meu EU inteiro/completo! Parece que tudo o que fiz na minha vida foi pelo mesmo motivo. No entanto, primeiro dê-me tempo para realmente interiorizar o que aconteceu! Pergunte-me novamente daqui a algum tempo.

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

TAMBÉM ME ENCONTRA AQUI