Eventos

Life Coaching

As datas dos Workshops, Palestras, Conversas, Partilhas, serão apresentadas neste espaço com a maior antecedência possível. 

Se tiver sugestões de temas que gostava de ver debatidos e apresentados, tenho o maior gosto de os receber para os poder considerar em futuros eventos. 

"A caverna que teme entrar guarda o tesouro que procura". 

Joseph Campbell (1904-1987)

"The cave you fear to enter holds the treasure you seek". 

Joseph Campbell (1904-1987)

Próximos eventos

PAUSAR uma PRÁTICA de PRESENÇA

Todos os Domingos das 20:30 - 21:00 via Zoom

4C991855-D757-4F17-9971-D1AA5A0AD080.jpe

O que se encontra quando se pratica presença? 

Junte-se a mim para uma exploração guiada numa aprendizagem a pausar.

Um convite a estar consigo, numa escuta curiosa, algo para levar consigo para a sua semana.

Envie-me um email para angela@upanji.com para receber o link para a chamada zoom. 

 

Eventos realizados em 2021

EE4349D7-0EEC-4303-BDA8-4822EE6F8C27.JPG
@joanamlimao
convida

A Joana Limão @joanamlimao criou o ✨TEMPO PARA NÓS✨onde, com a ajuda de convidados partilhou diferentes tópicos desde movimento a práticas de gratidão, à respiração ou cuidados com o corpo. A Angela foi a convidada do dia 8 de Fevereiro.

Em tempo desafiantes é importante termos recursos bem identificados. Temos tudo em nós. E a Angela partilhou  como aceder ao que já existe em nós. 

 

A partilha foi direcionada a relembrar, colecionar e registar emoções que nos possam ajudar em tempos mais exigentes. Com base na aceitação e inclusão de todas as emoções, pois todas são importantes e fontes essenciais de energia para cada um de nós, vamos (apenas ) ajudar o corpo a ganhar o espaço que já tem para estarmos mais capazes de estar AQUI agora. 

Se quiser, pode fazer aqui o download do worksheet de apoio a esta sessão. 

Se não assistiu pode assistir aqui. 

Eventos realizados em 2020

2020 foi um tempo de muitas conversas, partilhas e reflexões on-line. Pode assistir a muitas delas no meu canal de YouTube

INSTAGRAM TEMPLATES-21.png

Fechar 2020

Vamos fechar o ano em consciência? 

Cada um viveu este ano à sua maneira mas este ano trocou os planos a todos.  

 

Qual a vantagem de fechar o ano? 

Acredito que com intenção e consciência consigo levar comigo apenas memórias (mesmo as menos agradáveis)  e as lições que podem fazer diferença.

 

Este fechar serve para reforçar o nutrir emocional. Cria a oportunidade de olhar, considerar, escolher e alinhar o que é possível para si agora. O que pode aproveitar, reciclar deste ano? O que me pode ser útil em 2021? 

Vai precisar: 

Zoom com Vídeo e som (pelo menos para a apresentação); Um espaço privado, confortável, favorável a reflexão; Coragem e curiosidade para ver a sua verdade como está; Carinho por si e tanto que lhe aconteceu este ano; Crença no poder de aceitar o que é, para saber o que fazer; Confiança que passo a passo se cria uma realidade; Criatividade divertida para ver para lá do óbvio; Clareza na sua intenção de se nutrir de dentro para fora; Comunicar consigo implica parar, ver escutar e sentir ; Comunidade à volta lembra-nos que estamos acompanhados.

image1.jpeg

Close 2020

Shall we close the year in awareness?

Regardless of how this year was for you, 2020 probably changed a few things. 

 

What is the advantage of closing the year in awareness?

Consciously we can set the intention to take only memories (even the least pleasant ones) and the lessons that can make a difference moving forward.

 

This closing serves to reinforce our emotional nourishment. It creates the opportunity to see, consider, choose and align what is possible for you now. What can you reuse, recycle from 2020? What can be useful for 2021?

Eventos realizados em 2019

Screen Shot 2019-01-31 at 13.35.33.png

“Tudo o que alguma vez precisa saber está dentro de si; os segredos do universo estão impressos nas células do seu corpo.” Dan Millman

A proposta foi ir até aos Açores, mais precisamente até à Ilha Terceira para uma viagem ao seu próprio interior. Foi um estar mais longe para que a sua concentração se pudesse focar exclusivamente em si e, tirar o maior proveito desta contínua aprendizagem sobre si mesmo.

Vamos saber aproveitar as nossas potencialidades e vamos descobrir como nos posicionar em cada situação de forma a ser benéfico para cada um de nós. .  

Foi esta a minha proposta para este fim-de-semana de imersão em si mesma. 
Um fim-de-semana onde é você que importa!

IMG_5471.JPG
IMG_5897.JPG
IMG_5599.JPG
Screen Shot 2019-04-18 at 13.23.08.jpg

13 DE ABRIL | No meu corpo mando eu!

 

Somos 3 apaixonadas pela natureza humana, pela superação dos nosos limites, mas sempre respeitando e entendento o momento de falar NÃO.

Esta será uma conversa divertida sobre sexualidade, as respostas do nosso corpo e como encontramos em nós o nosso limite para podermos superá-lo ou simplesmente aceitá-lo.

Parte do nosso comportamento é inconsciente o que nos leva a repetir padrões que não nos são úteis e por vezes nada saudáveis.

Ganhar consciência do que nos leva a dizer sim quando queremos dizer não, pode ser um passo pequeno mas fundamental na construção da realidade que queremos viver.

Vamos aprender a ensinar os outros como queremos ser tratados e assim viver na base do respeito mútuo.

IMG_4222.jpg
IMG_4179.jpg

Eva Albuquerque: Licenciatura em Fisioterapeuta; Pós-graduada em hidroterapia; Formação de Somatic Experiencing Practicioner SE e Bodynamic(foundation); apaixonada pelo Bem-Estar @Eva Albuquerque @Eva Albuquerque - WHolistic Physical Therapy

Laira Ramos: Licenciatura em Fisioterapia; Especialista em Reabilitação Perineal; Mestre em Ciências da Reabilitação; PHD em Uroginecologia; Palestrante internacional @perineo.info

Angela Mendes: Licenciatura em Teorias de Comunicação; Mestrado em Assuntos Internacionais; Certificado com distinção de life-coaching; Certificado de Praticante e Master Praticante de Programação Neurolinguística (PNL) @Upanji

Screen Shot 2019-03-12 at 09.59.15.png

Reconhece aquela sensação de desejar atingir um objetivo e não conseguir? Tentar muito, esforçar-se, mas por mais que faça não consegue alcançá-lo? Consegue parar e identificar que você é muitas vezes o seu maior obstáculo? 

 

O conflito entre as circunstâncias externas e a nossa programação interna, repleta de crenças, valores, traumas, medos, experiências passadas, envia-nos mensagens contraditórias e criamos stress, perdemos energia e comprometemos o resultado desejado ou afetamos o nosso corpo e saúde. E mesmo quando atingimos o objetivo, a capacidade de o celebrar é diminuída.

 

Este é o workshop ideal para parar e olhar para dentro de si e perceber o que está em falta para o conseguir. E conseguir nem sempre é o resultado em si, é a forma como vive e convive com as suas batalhas, vitórias e derrotas. 

 

Afinal a capacidade cria-se nos treinos, não no dia da competição. Aproveite este dia para se treinar internamente. Para adquirir ferramentas para que o seu treino diário seja também interno. 

Este workshop tem como objetivo treiná-lo internamente: 

  • Venha olhar para a sua programação interna.  

  • Venha perceber se o que aprendemos a fazer na vida o ajuda ou o prejudica. Diz, “eu consigo” e ignora tudo até o seu corpo, ou diz “não consigo” e desiste?

  • Entender que cada programação interna tem vantagens e desvantagens.

  • Olhar para as crenças que estão a ser os seus maiores obstáculos. 

  • Criar uma nova forma de focar a sua energia de forma a não ficar única e exclusivamente dependente dos seus resultados. 

  • Identificar as aprendizagens necessárias para chegar lá, onde quer chegar, seja em que área for.

16 DE MARÇO | 10:00 - 17:00

“Quando muda a sua maneira de olhar as coisas, as coisas para onde olha mudam” (Wayne Dyer)

 

Perdemos muito tempo e energia a querer mudar as situações exteriores a nós, achando que é isso que nos fará atingir os nossos objetivos. Se for num jogo de futebol, por exemplo, desejamos mudar os jogadores, o árbitro, o campo, o dia do jogo pois acreditamos que alterar alguma das circunstâncias exteriores fará alcançar outros resultados. 

 

Mais do que mudar as suas circunstâncias, vamos mudar a forma como olha para elas. E fazer das circunstâncias, sejam elas quais forem, o seu aliado no jogo da vida. Vamos, juntos, perceber que a bola é você mesmo, a bola está em si, e o que o vai fazer ganhar o jogo da vida é saber onde se quer colocar no campo. 

PHOTO-2019-03-16-19-16-03.jpeg
PHOTO-2019-03-16-19-16-01.jpeg
PHOTO-2019-03-16-19-16-01 2.jpeg
PHOTO-2019-03-16-19-16-02.jpeg
Screen Shot 2019-01-22 at 11.39.46.png

2 DE FEVEREIRO | 14:00 - 17:00


Estamos na era da alimentação saudável mas o que é saudável para uns pode não ser para outros.
Como saber o que o seu corpo precisa? Quer seja para satisfazer uma deficiência nutritiva ou uma carência afetiva. Aprende a aperceber-se da diferença.

 

IMG_4837.JPG
IMG_4814.JPG
IMG_4929.JPG
Screen Shot 2018-11-26 at 16.07.35.png
IMG_4875.JPG
IMG_4884.JPG
IMG_4904.JPG

19 DE JANEIRO | 14:00 - 17:00

Não conseguimos dar o que não temos em nós!

 

Este workshop explorou a ideia do que é um vínculo seguro de forma a descobrir as armadilhas que nos impedem de o viver. 
 

Screen Shot 2019-02-12 at 16.57.22.png

11 DE JANEIRO | Ritmo - a dança do corpo feminino. 

 

O Ser Feminino está conectado com o céu e com a lua através do ciclo menstrual. O ciclo da lua tem 28 dias e assim é o ritmo menstrual. Tal como a lua influência as águas (marés) também movimenta as nossas águas (no nosso corpo) mexendo as nossas memórias e as informações gravadas no nosso sistema celular. Assim é uma fonte da nossa saúde.

O “SER Mulher por Inteiro” tem como objetivo reconhecer onde existe luta, desequilíbrio ou doença (tendo em conta os corpos físicos, emocionais e mentais).

 

Convidamo-la a juntar-se a nós, numa conversa com a Dra. Radmila Jovanovic, Médica Ginecologista Obstetra e Angela Mendes, lifecoach.

IMG_2529 (1).jpg
IMG_2531 (1).jpg
IMG_2145.JPG

Eventos realizados em 2018

- Scroll down for English version - “

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez dela uma rosa tão importante. Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo” Antoine de Saint-Exupéry

Um fim de semana de imersão em si mesma.

 

Um tempo para investir em si, tempo para perceber o que a faz especial e única. Um tempo para descobrir o que a distingue do resto dos 7 bilhões e meio da população do planeta já que 99,9% do nosso ADN é o mesmo. Vamos desbravar caminhos para entender onde está a nossa essência, onde somos únicos!

 

Vivemos numa sociedade cheia de máscaras, de medos, de angústias, de fugas, de buscas insaciáveis e de vícios. Desejamos muito ser aceites e boas pessoas e acabamos por “vender” a nossa essência em troca de uma imagem esculpida para que funcione em formato e tamanho único junto dos outros. A vontade de ser aceite é tão grande que acabamos viciados em não entrar em contacto com o que sentimos e somos na realidade. E acabamos cansados, exaustos, distraídos e muito pouco honestos com nós próprios.   

 

Terá medo de se virar para si e de se (re)conhecer? 

Terá medo do que vai encontrar? 

E se o que encontrar não é tanto do que o que aprendeu sempre a ser?

E se descobre que é tão diferente do que todos estão habituados e que isso irá magoar os que ama? 

E pensará que os que ama deixarão de gostar de si?

 

A vantagem de se virar para si é reconhecer-sepor inteiro. 

Reconhecer-se na sua essência, na sua verdadeira natureza e forma de ser.

Tem muito mais para dar se tiver no seu melhor, confortável na sua pele. 

É perceber o que sempre soube ser, mas não sabia como vivê-lo.  

É dar-se autorização para viver no seu poder.

É aceitar que nem sempre os outros vão gostar.

 

Quando nos aceitamos na diferença, aceitamos diferença no outro. Quando abraçamos as nossas peculiaridades, conseguimos mais facilmente fugir do “isto não é normal” que julga, afasta e cria barreiras. 

 

Vamos imergir num fim-de-semana onde quem importa é você!

The Annual Lyon University Bake Sale.jpg

Conversamos sobre as nossas práticas, partilhamos experiências e perguntas sobre o tema do mês: Descansar.

Cinco meses até 2019! Todos os meses eu não acredito o quão perfeito o tópico do mês é. A lição parece ser confiar e aproveitar a oportunidade. Descansar! Quando descansa o que acontece? Comecei o mês doente, mesmo que não tivesse nos planos, tive que descansar. Dois dias de cama e não conseguia parar de pensar como descansar. Se estou na cama e durmo a maior parte do tempo, por que não me sinto descansada? Quais são os ingredientes secretos para se descansar? Se não é o ato de simplesmente ficar ali, o que é então? 

Join us noon EST to discuss what you've been praticing, share experiences and questions. 

Five months to go until 2019! Every month I can't believe how perfectly right the topic of the month is. So, I guess the lesson is to trust and give it a go. Rest! When you do what happens? I started this month literally sick, so even if it wasn't the plan, I had to rest. Two days in bed and the first day I couldn't stop thinking about how to rest. If I'm in bed and slept most of the day, why don't I feel rested? What are the secret ingredients to rest? If it is not the act of just laying there, what is then? Reveja o video aqui: Video

Conversámos sobre as nossas práticas, partilhámos experiências e perguntas sobre o tema do mês: Respeito.
Respeitar os outros implica estima, consideração, admiração, honra reverência. Desafio-o a honestamente ver como respeita os outros. Será que tratar outros como quer ser tratado, é respeitar quem a outra pessoa é? O que é um comportamento, uma comunicação respeitosa? E apoio com respeito, no trabalho, em casa ou com estranhos? Não há respeito sem auto-respeito. Como podemos dar aos outros o que não temos para nós mesmos? Auto-respeito (a falta do mesmo), é a base de todo o relacionamento abusivo.

To respect others implies esteem, regard, admiration, reverence, honor... I challenge you to turn inwards and give an honest look into how you are respecting others. Is treating others, the way you want to be treated, respect for who this person is? What does respectful behavior, communication, support, at work, at home, and with stragners looks like? There's no respect without Self-Respect. How can we give others what we don't have for ourselves? Self-respect or the lack of it, is the basis of every abusive relationship. 
Reveja o video aqui:
Video

Partilhas e conversas sobre o tema do mês: nutrir. Conversamos sobre as nossas práticas, partilhamos experiências e perguntas.
Abril convidou-nos a mudar o nosso foco e a brincar com algo novo. Desta vez, praticámos nutrirmo-nos. Virarmo-nos para nós mesmos pode ser visto como egoísta, mas se nos sentirmos vistos, cuidados e bem sobre quem somos, não se transformará isso em ter mais para dar? Eu acredito que nutrir é a nossa natureza e só falhamos quando não alimentamos a nossa expressão única.


Theme of the month: nurturing. Join us noon EST to discuss what you've been praticing, share experiences and questions. 
April invites us to change our focus and play with something new. This time, let's practice nurturing ourselves. Turning to ourselves can be seen as selfish, but if we are feeling seen, taken care of, good about who we are, doesn't that convert into having more to give? Nurturing is our nature and I beleive we only fail at it when we are not nurturing our own unique expression in this world. Will you join me in practicing nurturing yourself?

Reveja o video aqui: Video

Live no Facebook e Instagram - todos os meses às 17h GMT conversamos sobre as nossas práticas, partilhamos experiências e perguntas. 
Atenção, é a sugestão de prática este mês! Onde foca a sua atenção, expande. Aquilo em que presta atenção, influencia como se sente, como pensa e como responde à vida. Sabendo disso, onde ou a quê vai prestar atenção?
Escolha algo para prestar atenção.
- Comece com algo simples e sem impacto emocional. Pode ser algo como sapatos vermelhos ou carros roxos.
- ou pode decidir prestar atenção a uma emoção. Quantas vezes por dia consegue sentir alegria ou calma, ou qualquer coisa que gostaria de sentir com mais frequência. Preste atenção.

Reveja o video aqui: Video

Uma vez por mês vou convidar-vos a focar num tópico específico e a pô-lo em prática. E uma vez por mês convido-os a estar num facebook live, onde partilhamos o tema do mês, experiências, as práticas do dia a dia e perguntas. Em Janeiro falo sobre INTENÇÕES,

A intenção é uma emoção. Tudo o que queremos, queremos, pelo que isso nos faz sentir. Concentre-se nisso primeiro. Pergunte-se como se quer sentir?
Somos criadores, criamos as nossas vidas pelo significado que damos aos factos, eventos, pessoas ... Quando sabe a sua intenção, dará um significado que irá refletir isso mesmo.

Reveja o video aqui: Video

Eventos realizados em 2017

FACEBOOK LIVE

Acabar, Fins, Morte, Últimos

17.12.2017 | 17:00 - 17:30

Com o ano a acabar, o último convite à prática foi o: Acabar, Fins, Morte, Últimos.
Como vivemos os fins? Celebramos? Revemos o que acaba? Tiramos lições? Evidenciamos quanto e o quê do que acaba? Se for no ensino/carreira, os fins são marcos desejados, trabalhados, é o chegar! Se for na relação, o fim traz dor, uma sensação de não ter chegado? Se for a última vez que fez algo nocivo à saúde, celebra? Cada fim é uma morte. O fim de um dia, duma etapa, é um marco que muda tudo. Depois de um fim, pode viver-se um outro, mas não mais o mesmo e não mais da mesma maneira. Como vive cada fim, o acabar? E se não sabe que é a última vez... E a morte, como a vive? Quanto dum fim é uma libertação?

Video aqui disponível

FACEBOOK LIVE

Qual a relação com o TEMPO

19.11.2017 | 17:00 - 17:30

Parece-me que falamos mais do tempo que qualquer outra coisa, e sem querer comparar gostava de explorar o assunto se o quiser fazer comigo. Conhece a sua relação com o tempo? Como vive o seu tempo? Espera os fins de semana e as férias para o viver? Qual a diferença? O tic tac é o mesmo aqui ou ali... É a mesma pessoa, com tempo ou sem tempo? Este conceito do tempo controla a sua vida? É o tempo que dita quem é no momento?

Reveja os videos aqui:

versão portuguesa

English version

A Clinica Medicinas esteve no Organii Eco Market, no LX Factory com a Dra. Radmila Jovanovic à frente do Talk "O Parto na Água em Portugal" e juntamente com as Dras. Angela Mendes, Carlota Trigo e Joana Gomes a abordar o tema "O corpo sabe curar-se - Integração das medicinas como caminho" 

FACEBOOK LIVE

Observar e conhecer o MEDO

22.10.2017 | 17:00 - 17:30

Se está a questionar porquê focar no medo se ninguém quer que este aumente, vou desafiá-lo a questionar a sua relação com esta emoção. Às vezes evitar ou fugir de algo tem o mesmo efeito que  focar ativamente, aumenta. 

Uma oportunidade para explorar o tema do mês e partilhar experiências.

 

Reveja o vídeo aqui:  

“Fed up with

Not Feeling Good Enough?”

workshop

21.10.2017 | 10:00 - 17:00

“What you resist, persists”

Carl Jung

Very happy to have been invited to deliver this workshop. 

Do you spend most of your time trying to be all things to all people? And yet you always feel it is not good enough?  You try your best, work hard, and yet you are constantly beating yourself up and feeling this is never up to your standards. 
 

We would like to invite you to a workshop on how to deal with the "not good enough" feeling. We can't teach you how to get rid of it or ignore it but we can help you with how to stop fighting it. This is about realization and acceptance and finding your inner peace.

 

Angela Mendes is a life coach who practices in both Portugal and the US. She focuses her work on acceptance. She helps her clients learn how to stop fighting and wasting energy on what they have no control over and concentrate instead on creating their own reality. She is a wonderful coach who has made positive impact on many people. 

Mais informações aqui.

Reveja a transmissão aqui: Facebook live

O que é o AMOR? Para mim, é vibração, energia (quase palpável), a sensação de me reconhecer, de estar "em casa"... Como e quando usa a palavra  AMOR? A palavra sempre teve o mesmo significado ou mudou al longo do tempo? O que aprendeu sobre o AMOR? Às vezes ligamos AMOR à forma que este toma; natureza, coisas, pessoas, e assim amor passa a ser presença ou falta, prazer ou dor, desejo ou rejeição, abandono etc... E se se ligar ao AMOR essência, o que sente? Será que é idêntico à sensação de celebrar?  Celebrar AMOR

FACEBOOK LIVE

Celebrar e AMOR

 

17.09.2017

FACEBOOK LIVE: 20 de Agosto 

Gratidão e Abundância

Veja o video aqui:

Facebook live

Workshop: 25 de Junho

Limites: a sua pele emocional

O objectivo é brincar com o tema LIMITES para encontrar a forma mais saudável de criar e manter proteção com receptividade, flexibilidade e auto-regulação. ​

  • Sabe colocar limites saudáveis para si e para as suas relações, profissionais, de amizade, familiares e intimas? 

  • Como avalia se os seus limites são saudáveis? 

  • O que sente quando tem que estabelecer limites saudáveis para si mas não aceites pelos outros? 

  • Como lida com essas emoções? 

  • Sabe dizer que não? 

Limites são importantes tanto para a sobrevivência física como para a emocional.

A pele é o maior órgão no corpo humano e tem funções especificas e fundamentais como: 

Proteção, Permeabilidade, Receptividade, Auto-regulação... 

Fisicamente, sem pele no corpo, é impossível funcionar.  

Emocionalmente, impor limites, criar proteção, definir permeabilidade (intencional e selectiva), receptividade e auto-regulação é, igualmente, viver de forma saudável e saudavelmente funcional. 

Como se protege emocionalmente?

Proteção em excesso mata, sufoca! Falta de proteção permite invasões que nos impedem de funcional e dar o nosso melhor ao mundo. Como sabe o seu ponto certo em cada interação? E quando o sabe, como o define? 

Como define o nivel de permeabilidade emocional?

O que deixa entrar ou sair? Quando o permite? Com quem o faz? Que rotinas cria para garantir que tem formas de o fazer de forma saudável para si? 

Qual o seu nível de receptividade emocional?

Recebe tudo ou não recebe nada? Quando definiu o quanto é aceitável para si receber? Como varia? Quando? Com quem? 

Se a pele regula a temperatura do nosso corpo, num sistema inteligente, onde e qual é o seu equivalente emocional? 

Workshop: 9 de Abril 

Começa em mim,

Ensinar os outros como quero ser tratado.

  • Porque às vezes os outros não nos conseguem ver como somos na realidade.

  • Porque para ensinar é preciso saber como se faz primeiro.

  • Porque o que queremos depende muito mais da forma como estamos connosco.

​   Começar em si:  

  • Reconhecer que não controlamos os outros  

  • Praticas de auto-observação que nos responsabiliza sem culpa

  • Qualquer ciclo precisa ser alimentado, conheça bem o papel que desempenha? 

  • Aceite o seu poder

 

   Ensinar os outros como quer ser tratado: 

  • Implica criar clareza na dinamica da relação existente e desejada

  • Conhecer os obstáculos que o impedem de verbalizar o que quer e precisa

  • Notar crenças e padrões: evitar conflito, expectativas exageradas, responsabilidades 

  • Escolha a realidade que quer criar 

  • Crie uma estratégia de ação - primeiro passo!

"Eu ensino os outros como quero ser tratado através da forma como permito ser tratado"

Stephen Covey

Workshop: 5 de Fevereiro

Workshop: Aceitação, a resposta que procura

  • Vamos ver juntos os mecanismos que o prendem na luta que não lhe dão o que procura.
    Vamos praticar os passos de auto-aceitação.
    Vamos reconhecer onde está o seu poder no movimento constante da dança que a vida é. 
    Porque, acredite, o poder é todo seu!

Quando nos vemos errados, parece que o mundo nos grita isso mesmo. Não estamos bem onde nos encontramos e sentimo-nos mal com o que somos. Queremos o oposto ao que estamos a sentir e ao que está presente. E assim, a luta continua. Lutamos contra o que sentimos, contrao que fazemos e contra os resultados que obtemos. Ficamos exaustos com a luta mas, continuamos a tentar tudo e mais alguma coisa para não termos a sensação de estar errados ou desintegrados. Mentimo-nos e mostramos ao mundo apenas o bonito, as fotos das experiências invejáveis que temos, mas que não sentimos como tal. Sabemos ter uma vida com tudo, sem motivos para nos queixar. Mas os mecanismos de fuga que inventamos, os vícios, as distrações que criamos parecem já não funcionar como antes. E acabamos por ter vergonha do que não conseguimos e culpamo-nos, a nós ou a qualquer outra coisa. Ficamos tristes por sermos diferentes e às vezes desesperados porque não conseguimos ser iguais. Forçamos retirar o que não quer sair… 

Investimos tudo para nos sentirmos bem mas ... nada parece durar.
Esquecemo-nos que a única coisa que não fizemos ainda, é ACEITAR.
Aceitar o que somos apenas, como ponto de partida.
Aceitar a nossa essência, a nossa história, a nossa dor, o nosso amor.
Aceitar! Aceitar o todo aqui e agora.